Notícias

Sexta-Feira, 23 de Abril de 2021 17:23

SPUTNIK V - ANVISA faz reunião nesta segunda (26) para avaliar importação da vacina russa

Mato Grosso já anunciou a compra de um lote de 1,2 milhão de doses da vacina, mas compra depende de aval da Agência Federal
Autor: José Boas

BRASÍLIA – A ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária – marcou, para a próxima segunda-feira (26), reunião para debater a viabilidade técnica da vacina russa Sputnik V. Participam do encontro a diretoria colegiada Anvisa, que acompanha o processo de liberação do imunizante para prevenção da COVID-19 no Brasil.

Em nota à imprensa, divulgada na manhã de hoje (sexta-feira, 23), a Agência explica que “a data da reunião foi marcada em razão do prazo de 30 dias definido pela lei, e confirmado pelo STF, para que a Anvisa avalie os pedidos de importação de vacinas para Covid sem registro”.

MATO GROSSO – No último dia 31 de março o Governo do Estado anunciou, também por meio de nota, que encomendou do laboratório responsável pela fabricação da Sputnik V um lote com 1,2 milhões de doses do imunizante, o que daria para vacinar até 600 mil pessoas. O custo de cada ampola sai por US$ 9,95 ou um valor em torno de R$ 65,5 milhões, de acordo com a cotação deste final de semana.

De acordo com relatórios liberados pelos fabricantes do inoculante, sua eficácia é de 91,6%.

NEGOCIAÇÃO DIFÍCIL – Mauro Mendes chegou a argumentar que existe uma grande dificuldade em conseguir vacinas negociando diretamente com os laboratórios estrangeiros. Por isso, o governador comemora a assinatura do contrato: “A vacinação é o caminho mais rápido e seguro para barrar a circulação do vírus e todos os impactos que essa doença acarreta à vida das pessoas. Temos acionado embaixadas e empresas pelo mundo, mas a grande maioria se nega a fazer negociações diretas com os governos estaduais”.

Fonte: ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}