Notícias

Sexta-Feira, 09 de Julho de 2021 13:47

PRESOS: Dois policiais militares são presos no interior de Mato Grosso acusados de assassinato de empresário

Os dois policiais militares foram presos na cidade de Matupá
Autor: Assessoria de Comunicação - Polícia Civil de Mato Grosso

REDAÇÃO – A Polícia Civil de Guarantã do Norte (380km ao norte de Lucas do Rio Verde) cumpriu nesta quinta-feira (08) dois mandados de buscas e apreensão dentro do inquérito que apura o homicídio do empresário Gilberto de Oliveira Couto, de 46 anos, o “Beto Caça e Pesca”, ocorrido em maio deste ano. 

Os mandados judiciais foram cumpridos contra dois policiais militares, na cidade de Matupá (27km distante do local do crime), que são investigados por suposto envolvimento no crime. 

OS SUSPEITOS - No final de maio, a equipe da Delegacia de Guarantã do Norte cumpriu a prisão de três pessoas também investigadas por envolvimento no homicídio, entre elas a ex-esposa do empresário, o atual namorado dela e o filho da vítima. Os três foram presos temporariamente e são apontados como mandantes do crime de homicídio qualificado pelo motivo torpe.

Conforme a investigação, o crime foi motivado por questões patrimoniais, relacionadas a divisões de bens de herança.

Gilberto Couto foi morto na manhã de 25 de maio, em frente a sua residência, no bairro Jardim Vitória. A vítima apresentava ferimentos de arma de fogo nas costas e cabeça e estava há aproximadamente quatro metros da sua motocicleta, que também estava caída.

Foto: TV Migrantes

LEIA TAMBÉM: CRIME ENCOMENDADO: Presos suspeitos de terem tramado assassinato de empresário em Mato Grosso (Publicado em 28.Mai.2021)

LEIA AINDA: EXECUTADO: Empresário do norte de Mato Grosso é assassinado com 4 tiros (Publicado em 25.Mai.2021)

Fonte: LEIA LUCAS - com informações da Polícia Civil de Mato Grosso

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}