Notícias

Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020 06:55

Ordem para executar traficante expõe poder paralelo em MT

A morte do traficante Edson Gonçalves de Jesus, 46 anos, o popular "Disson", na tarde de sexta-feira (23), no bairro Pedregal, expôs a existência de um poder paralelo em Mato Grosso, em que  chefes de facções criminosas ditam de dentro da cadeia a lei das ruas, determinando quem vai morrer ou não.

Disson foi executado com pelo menos cinco tiros de pistola calibre 380 enquanto dirigia pelas rua do bairro onde residia. Ele morreu, conforme investigações, por ordem do líder do Comando Vermelho, Sandro Louco. 

Sandro atualmente cumpre pena na Penitenciária Central do Estado (PCE), mas mesmo detido ele dá ordens que são cumpridas do lado de fora da cela. Segundo as informações preliminares, Disson pagou com a vida por ter descumprindo "ordem do comando". Sandro não teria gostado de algumas atitudes do traficante, que não era ligado a nenhuma facção. 

A Secretaria de Segurança Pública vem tentando fechar o cerco para esse tipo de atividade busca deixar isolados os que estão dentro do sistema penitenciário. Tanto é que as tomadas foram retiradas de dentro das celas, para evitar que celulares que entrem na cadeia sejam recarregados. 

Proposta de Lei

Na Assembleia Legislativa existe uma indicação parlamentar para que o governador Mauro Mendes (DEM) construa uma unidade de segurança extrema, onde líderes de facção ficariam isolados, sem acesso a outros reeducandos ou aparelhos telefônicos. A proposta foi para a Mesa Diretora da ALMT em 2019 e até hoje não foi acatada pelo Governo do Estado. 

Morte de Disson

Na noite de quinta-feira (22), Edson teria batido no carro do filho de um pastor evangélico, muito estimado pelos moradores do bairro Pedregal. Após isso, o criminoso teria iniciado uma discussão e quebrado uma garrafa de Whisky na cabeça do dono do veículo.

O pastor tentou intervir, mas foi ameaçado pelo traficante. Preocupado com a situação, o líder religioso comentou sobre o ocorrido com uma amiga, que entrou em contato com outros dois homens do Comando Vermelho, conhecidos por manter a 'disciplina' na facção. 

A situação foi repassada a outros membros do Comando Vermelho, chegando aos ouvidos de Sandro Louco, que atualmente cumpre pena na Penitenciária Central do Estado. Sendo o principal líder da facção, Sandro teria ordenado a morte de Disson.

Os executores teriam então dado início às buscas pelo traficante, localizando-o no início da tarde de sexta-feira (23). O traficante, que não integrava o Comando Vermelho, foi morto a tiros.

Fonte: Olhar Direto

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}