Notícias

Quinta-Feira, 11 de Fevereiro de 2021 06:42

Empresário diz que deu propina para PM fazer vista grossa em MT

Um empresário de 27 anos foi preso no domingo (07) por corrupção de menores em uma boate de Rondonópolis (a 216 quilômetros de Cuiabá). Durante a prisão, ele acusou um policial militar de receber propina para fazer “vista grossa” na fiscalização e deixar o estabelecimento funcionando. 

De acordo como o boletim de ocorrência, foi realizada a abordagem no local devido a uma aglomeração em frente ao estabelecimento, no Bairro Vila Birigui. Com um dos suspeitos foi encontrado um cigarro de maconha. 

A equipe percebeu que dentro do estabelecimento havia uma aglomeração ainda maior. O que estaria em desacordo com o decreto estadual que prevê medidas sanitárias de combate à Covid-19. 

No local foram apreendidos 12 menores de idade que estavam consumindo álcool, tabaco e drogas. No chão, havia diversas porções que provavelmente foram descartadas em razão da chegada da polícia, para dificultar a identificação dos proprietários. 

Os envolvidos foram encaminhados para a delegacia. O Conselho Tutelar foi acionado, assim como os familiares dos adolescentes. O proprietário do estabelecimento ainda relatou que a abertura, apesar de irregular, estava acertada com um policial militar, que cobrava de R$ 1,5 mil  a 4 mil para fazer “vista grossa” à ação irregular.

O suspeito ainda mostrou conversas de WhatsApp para a equipe policial, que comprovariam a denúncia. O aparelho celular passará por perícia. A Polícia Militar divulgou nota sobre o caso. Leia abaixo:

O Comando do 4º Comando Regional de Rondonópolis informa que na mesma data, 08.02, foi instaurado um Inquérito Policial Militar(IPM) e o policial em questão foi afastado das funções operacionais. Informa ainda que a Corregedoria Geral tomou conhecimento e acompanha a tramitação do IPM.

Fonte: Midia News

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}