Notícias

Quarta-Feira, 03 de Março de 2021 07:00

Depois de 1 ano, Brasil endurece restrições e se alinha ao resto do mundo

As novas variantes do coronavírus já atingem ao menos 100 países e territórios em todo o mundo. Para conter a propagação da doença, muitos governos voltaram a decretar medidas de isolamento social, toques de recolher e restrição à entrada de estrangeiros.

Pouco mais de 1 ano depois do 1º caso confirmado de covid-19 no Brasil, os governos estaduais estão voltando a endurecer as medidas restritivas. Na 5ª feira (2.mar.2021), o Brasil já havia registrado 257.361 mortes pela doença. Na mesma data, o país anotou o maior número de mortes confirmadas em 24 horas desde o início da pandemia: 1.641,

Na semana passada, 8 Estados e o Distrito Federal aumentaram as restrições. Foram eles: Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. A maioria dos Estados aplicou toque de recolher e proibição das atividades consideradas não essenciais.

BA: proibiu atividades não essenciais de 5ª feira (25.fev) a 2ª feira (1º.mar);
DF: proibiu atividades não essenciais das 20h às 5h com início na 2ª feira (1º.mar);
MS: toque de recolher das 22h às 5h até 12 de março;
PB: toque de recolher das 22h às 5h até 10 de março;
PE: proibição de atividades não essenciais das 22h às 5h a partir de amanhã até 10 de março;
PR: proibição de atividades não essenciais durante todo o dia e toque de recolher das 20h às 5h, de 27 de fevereiro a 8 de março;
RS: volta à bandeira preta a partir de amanhã;
SC: proibição de atividades não essenciais de 23h de 6ª feira às 6h de 2ª feira aos fins de semana;
SP: toque de recolher das 23h às 5h até 14 de março.
NO VELHO CONTINENTE
A maioria dos países da Europa introduziu medidas de bloqueio para combater novos picos de infecções e mortes no início de 2021. A França tem toque de recolher das 18h às 6h. Fechou as fronteiras para todos os países de fora da União Europeia em 31 de janeiro. Bares, restaurantes, teatros, cinemas e estações de esqui permanecem fechados.

Além das restrições em todo o território, medidas de bloqueio foram implementadas em partes da Riviera Francesa, incluindo Nice e Cannes, na 6ª feira (26.fev.2021). Valem até as 6h de 1º de março. As pessoas terão permissão para deixar as casas apenas por motivos essenciais e precisarão de permissão por escrito declarando o motivo de estarem fora.

Na Alemanha, serviços não essenciais, como salões de beleza, escolas, restaurantes, bares e centros de lazer permanecem fechados por tempo indeterminado. Uma nova regra, introduzida em janeiro, proíbe as pessoas de usarem máscaras caseiras em lojas e no transporte público. Agora, são necessárias “máscaras clínicas”, como máscaras as descartáveis ou respiradores com máscara de filtro (conhecidas como máscaras FFP2). As medidas vão vigorar até pelo menos 7 de março.

Na Itália, um toque de recolher em todo o país das 22h às 5h está em vigor desde novembro e viagens entre as 20 regiões do país são proibidas. Em janeiro, o governo teve que decretar um lockdown, que se estendeu por duas semanas, e bloqueou a entrada de brasileiros para evitar a disseminação da nova variante.

No entanto, bares e restaurantes em algumas regiões da Itália agora podem servir clientes até as 18h. Os alunos do ensino médio podem retornar às aulas normais, embora sejam divididos em grupos com 50% da capacidade em dias alternados. Aulas à distância estão em vigor desde outubro de 2020.

A Espanha está sob um toque de recolher em todo o país até maio de 2021. As pessoas só podem sair nesse período para trabalhar, estudar e comprar remédios. Moradores com mais de 6 anos devem usar uma cobertura facial nos transportes públicos e em espaços públicos fechados em todo o país.

O lockdown da Bélgica deve ser revisado em 1º de abril de 2021. Todas as viagens não essenciais são proibidas no país. A nação sede da União Europeia lidera a lista de países com mais mortes por milhão de habitantes (1.893).

O governo de Portugal decretou em 15 de janeiro o 2º lockdown desde de maio de 2020. O trabalho remoto é obrigatório, lojas e serviços não essenciais devem fechar e cafés e restaurantes estão limitados a operar com entregas a domicílio. O bloqueio deve durar até pelo menos 1º de março. Nessa data, o país também deve liberar voos com origem e destino no Brasil, proibidos desde 29 de janeiro.

Os Estados Unidos, que atingiram a marca de 500 mil mortos em fevereiro, mudaram as estratégias de combate à pandemia com o início do governo de Joe Biden. O democrata tornou obrigatório o uso de máscara nos prédios do governo e em todos os meios de transporte público do país, tais como ônibus, metrô e avião.

As escolas seguem fechadas no país, apesar da recomendação do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) para a abertura. O órgão estipulou que alunos, professores e funcionários devam permanecer de máscara durante todo o tempo e manter distância de 2 metros. Uma das promessas de Biden era o retorno das aulas antes de completar 100 dias de mandato –no início de maio.

O EPICENTRO
Em janeiro deste ano, a China enfrentou o pior surto da doença no país desde o 1º caso da doença, em dezembro de 2019. As cidades da província de Hebei impuseram lockdowns para conter disseminação. Funcionários do governo percorreram as ruas dessas cidades desinfetando as avenidas e os estabelecimentos. Foram criados centros para isolar pessoas que tiveram contatos com infectados.

Pequim entrou em estado de alerta depois de 10 novos casos identificados e começou uma rodada de testes em massa. Apesar de a capital chinesa não estar em lockdown, e os moradores estarem liberados para trabalhar presencialmente e frequentar restaurantes e shoppings, a quantidade de pessoas permitidas em transportes públicos foi reduzida.

RESTRIÇÕES DE VOOS
Devido a nova variante do coronavírus encontrada em Manaus, mais países suspenderam voos do Brasil ou proibiram a entrada de brasileiros e pessoas que estiveram recentemente no país. Atualmente, pelo menos 27 nações adotam medidas restritivas específicas para viagens com destino ou origem ao território nacional.

Na América Latina, o Peru renovou no domingo (28.fev.2021) a suspensão dos voos. Se estenderá no mínimo até 14 de março. Junta-se à Colômbia, que também se preveniu da entrada de possíveis infectados com a variante P.1.

Na Europa, os voos estão barrados em países para Portugal . Há exceções para voos de carga ou de natureza humana, como o autorizado excepcionalmente para a repatriação de brasileiros em deixou Lisboa, que decolou na última 6ª feira (26.fev.2021) com 300 brasileiros rumo a São Paulo. As restrições portuguesas estão mantidas até 16 de março pelo menos.

Israel também está blindado para o Brasil –e para grande parte do mundo. O foco do país de Benjamin Netanyahu é concluir com sucesso a campanha nacional de imunização, e para isso impôs quarentena obrigatória a estrangeiros ao entrar no território.

Na mesma região, a Turquia obstáculos similares. Os brasileiros foram alguns dos atingidos, mas só por meio dos voos internacionais. É um do países dos mais afetados pela covid-19. Tem também um dos processos de vacinação mais rápidos do mundo –é o 5º, com 8,55 milhões de doses administradas, segundo os dados do Our World in Data. Está uma posição à frente do Brasil.

Eis os demais países que vetam o ingresso de voos e passageiros oriundos do Brasil (exclusivamente ou não):

Argentina;
Austrália;
Áustria;
Canadá;
Chipre;
Espanha;
Emirados Árabes (quarentena);
Estados Unidos;
França;
Holanda;
Itália;
Japão;
Angola;
Arábia Saudita;
Malásia;
Marrocos;
Noruega;
Qatar;
Quênia (quarentena);
Reino Unido;
Suíça;
Uruguai.
Em contrapartida, o governo brasileiro também implementou blindagem a variantes estrangeiras e suspendeu os voos e a entrada de passageiros do Reino Unido e da África do Sul, que também registraram novas mutações do coronavírus.

Fonte: Poder360

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}