Notícias

Terça-Feira, 20 de Julho de 2021 20:43

CORRUPÇÃO: PF suspeita que desvios nos recursos de enfrentamento à COVID-19 que podem chegar aos R$ 3,2 bilhões

Até agora as investigações apontam para um desvio de R$ 190 milhões em diversos estados do Brasil
Autor: Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil

BRASÍLIA – A Polícia Federal (PF) ultrapassou na última semana a marca de 100 operações de repressão ao desvio e utilização indevida de verbas públicas federais destinadas ao combate à pandemia de covid-19. Até o último dia 13, o total de operações chegou a 102 e os valores apreendidos a quase R$ 190 milhões.

Em nota, a PF informou hoje (20) que, desde abril do ano passado, já cumpriu 158 mandados de prisão temporária, 17 de prisão preventiva e 1.536 de busca e apreensão em 205 municípios de 26 unidades da federação. O montante de contratos de produtos e serviços investigados atingiu cerca de R$ 3,2 bilhões.

SUPERFATURAMENTO - Deflagrada em abril de 2020 na Paraíba, a Operação Alquimia foi a primeira ação para apurar suspeita de desvio de recursos públicos. De lá para cá, o Amapá é o estado com o maior número de operações, 11 no total, seguido por Maranhão (10), Pernambuco (8), Sergipe (8), Rio de Janeiro (7), São Paulo (6), Piauí (6), Pará (6), Amazonas (4) e Rondônia (4).

Sobre o montante de contratos investigados, o Pará lidera com R$ 1,4 bilhão. Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro (R$ 850 milhões), Pernambuco (R$ 198 milhões), São Paulo (R$ 118 milhões), Minas Gerais (R$ 102 milhões), Rondônia (R$ 92 milhões) e Piauí (R$ 82 milhões).

LEIA AINDA: INDICIADO: Polícia Federal acusa Renan Calheiros de receber R$ 1 milhão em propina da Odebrecht (Publicado em 03.Jul.2021)

LEIA MAIS: SINAIS DE CORRUPÇÃO: Polícia Federal investiga denúncia de fraude na compra de respiradores por R$ 1,4 milhão (Publicado em 01.Jul.2021)

Fonte: Agência Brasil

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}