Sindicato de Agentes Penitenciários acompanha manifesto em MT

» Segurança

Por Sergio Nery em 06 de Julho de 2019 ás 13:41

O Centro de Detenção Provisória de Lucas do Rio Verde aderiu a paralisação de 72 horas, seguindo  instrução normativa do SINDPEN/Mt em protesto a morte do servidor Douglas no último dia 30. A mobilização tem como principal objetivo cobrar da Secretaria Estadual de Segurança Pública melhores condições de trabalho e uma reposta enérgica do governo quanto ao crime ocorrido bem como um enfrentamento e quebra de regalias nas unidades. 
 
Informação das investigações bem como relatada pela presidente do  sindicato SINDPEN Jacira Maria o servidor teria sido executado por ordem de uma facção que atua nos presídios de Mato Grosso. O mais grave, segundo Jacira, é que haveria uma lista com mais servidores   jurados e ameaçados de morte. Isso com base em um levantamento feito pelo serviço de inteligência da Secretaria. A motivação seria a prática diária de combate direto ao crime no CDP.
 
Uma fonte revelou ao LeiaLucas que nas últimas horas, pelo 20 reeducandos de alta periculosidade foram transferidos em caráter de urgência do CDP para outros presídios do estado. Familiares de reeducandos que não conseguiram contato informaram que o clima estaria tenso na unidade.
 
O Centro de Detenção Provisória de Lucas estaria neste momento enfrentando novamente problemas com superlotação. A unidade abriga detentos condenados e provisórios num total de 296 encarcerados. Este número representa cerca do dobro de sua capacidade. Mesmo assim, o CDP de Lucas do Rio Verde desenvolve importantes projetos de ressocialização. 
 
A morte brutal do servidor Elison Douglas teve repercussão a nível nacional, pelas características do crime, sem que a vítima pudesse esboçar qualquer reação, e pela atividade que exercia. Douglas deixou esposa e 3 filhos menores, era tido por colegas como alguém ético, correto  e combatente do crime na unidade.
 
A SESP/MT não se pronunciou oficialmente até momento. Todas as 55 unidades do estado paralisaram suas atividades nessas 72H que se iniciaram a meia noite de sexta (5) com término as meia noite de segunda (8). Uma faixa de luto no muro da unidade prisional de Lucas do Rio Verde faz sua ultima homenagem ao colega assassinado.
 
Segundo a instrução normativa publicada pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso, no período mencionado não haverá visitas a detentos nas unidades do estado. Atendimento a advogados, oficiais de justiça também estarão suspensos, e casos de problemas de saúde mais grave serão acompanhados. Os serviços de ronda e vigilância estão mantidos, para afastar os riscos de incidentes.
» Mais Imagens