GCCO investiga ação do Comando Vermelho em escola na Capital

» Polícia

Por RDNews em 13 de Março de 2018 ás 06:25

A secretaria estadual de Educação (Seduc) afirma que investigadores da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) registrou boletim de ocorrência e iniciou investigação sobre suposta repressão de integrantes do Comando Vermelho a alunos do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Prof. Almira de Amorim Silva, no bairro CPA II), setor I, em Cuiabá.

Em nota, a Seduc diz que a intenção é identificar os envolvidos e verificar se os jovem que aparecem na gravação veiculada nas redes sociais são, de fato, alunos da escola estadual.A secretaria ressalta que cabe às autoridades policiais a investigação e esclarecimento dos fatos. Para tanto, fornecerá todas as informações e apoio necessário para elucidação dos mesmos. Sobre as ações pedagógicas no ambiente escolar, a Seduc destaca tem desenvolvido atividades integradas para reduzir a evasão escolar, combater a indisciplina, a infrequência e a infração no ambiente escolar.

Neste sentido, pontua que criou o projeto Anjos da Escola que atua em parceria com a Rede de Proteção Integral, formada por órgãos como Ministério Público, Poder Judiciário, Defensoria Pública, secretaria estadual de Saúde, polícias Militar e Civil, Conselho Tutelar e CRAS.

A Seduc ainda reafirma o compromisso com a qualidade do ensino e segurança dos cerca de 400 mil estudantes da rede estadual, das 763 unidades escolares, e esclarece que, assim como a gestão do Ceja Almira, não compactua com atos de violência e constrangimento como os registrados.

Caso

Um vídeo veiculado nas redes sociais mostra supostos integrantes do Comando Vermelho, no Ceja Almira, no qual os suspeitos teriam entrado na unidade escolar após receber uma denúncia de venda e consumo de drogas no local.

As imagens mostram que o grupo teria reunido menores infratores na quadra esportiva, sendo que alguns deles usam tornozeleiras eletrônicas. Na ocasião, determinou que todos ficassem de joelhos enquanto os ameaçavam, e até davam chutes. Conforme o vídeo, o grupo nomeia um aluno para “cuidar” que ninguém mais venda entorpecentes na escola, e caso seja desobedecido eles voltariam para aplicar “salves”.

 

» Mais Imagens