Mãe que abandonou bebê em Lucas disse que ocultou gravidez por medo da família

» Polícia

Por Sergio Nery em 25 de Novembro de 2017 ás 07:39

Leialucas

O caso chocou a população de Lucas do Rio Verde e rapidamente repercutiu no estado e até mesmo no Brasil. Encontrada coberta de insetos, a menina recém nascida foi rapidamente encaminhada para receber atendimento médico  e alimentação.

Informações repassadas por testemunhas levaram a Polícia Civil rapidamente a identificar a responsável pelo abandono do bebê. Horas depois a mulher de 27 anos já era conduzida à Delegacia de Policia Civil para prestar esclarecimentos.

Ao Delegado Daniel Nery, ela disse que veio do estado de Pernambuco para ajudar um irmão que se recuperava de um acidente e pretendia trabalhar em Lucas. Ela já sabia que estava grávida mas escondeu a gestação com a utilização de roupas largas. A mulher afirmou que deixou a casa dos pais para que eles, muito rígidos, não soubessem da gravidez. Ela não sabe afirmar quem seria o pai da criança.

O acompanhamento da gestação não aconteceu de maneira regular, mas quando houve perda de liquido e sangue, ela entendeu que estava entrando em trabalho de parto e foi ao Hospital São Lucas. Depois de ter o bebê, através de uma cesariana, ela contou ao Delegado que recebeu ligações do irmão, perguntando o porquê da demora em voltar para casa. Ela teria dito que passou mal e estava no hospital, mas retornaria em breve.

O parto teria ocorrido no dia 21 de novembro. Ela recebeu alta no dia 23, por volta das 10:00 horas da manhã e tomou um taxi até um determinado ponto, de onde seguiu de ônibus para a casa do irmão, no Bairro Parque das Américas. Próximo ao lago Harri Muller, ela desceu e seguiu em direção a uma área de vegetação rasteira, mas fechada, onde deixou a criança.

Quando foi procurada pela Polícia, a mulher ficou nervosa, e acabou confessando que abandonou o bebê. Durante o período em que esteve no hospital, a mulher teria refletido muito sobre o que fazer, já que tinha escondido a gravidez de todas as pessoas com quem mantinha convívio. E num ato de desespero, acabou abandonando a criança.

Ainda de acordo com o Delegado Daniel Nery, a mulher mostra arrependimento do seu ato, apesar de não chorar. “Inclusive disse que quer a criança de volta”, disse o Delegado. O destino da menina, no entanto, cabe ao Poder Judiciário, que irá analisar os dados coletados durante a investigação Policial, e uma investigação social, econômica e psicológica à que a mulher certamente será submetida.

Familiares serão ouvidos, assim como as pessoas que tiveram algum contato com o caso. O local em que a criança foi encontrada passou por pericia na tarde desta sexta-feira. A menina está em observação no Hospital São Lucas, e passa bem. A principio, ela não apresenta lesões mais sérias, apenas marcas de picadas de insetos.

De acordo com o Delegado Daniel Nery, o estado emocional da mulher, abalado com o pós parto, pode mudar a tipificação penal dos atos praticados por ela. Uma das interpretações pode levar à tipificação de abandono de recém nascido. “Abandono de recém nascido é quando a mulher faz para ocultar a desonra própria. Então em alguns momentos eu tive essa sensação, de que ela veio pra Lucas pra ocultar a gravidez. Ela mesmo me falou que os pais são muito rígidos”, finalizou o Delegado.

» Mais Imagens