Rede municipal de ensino entra de vez na era digital

» Lucas do Rio Verde

Por Ascom Prefeitura/Educação - Neri Malheiros em 28 de Março de 2019 ás 11:57

Um cenário que até há pouco tempo pareceria fruto da imaginação de ficcionistas científicos começou a se tornar realidade nas escolas da rede municipal de ensino de Lucas do Rio Verde. Com a introdução dos chromebooks do Programa Municipal de Ciência, Inovação e Tecnologia Educacional (CiteLucas) no cotidiano de professores e alunos, a tecnologia digital torna-se mais uma importante aliada dentro da sala de aula.

Na verdade, trata-se apenas dos primeiros passos para o ingresso das escolas do século XXI em uma nova era. Lançado em novembro do ano passado pela Secretaria Municipal de Educação, o Citelucas deverá revolucionar a metodologia de ensino-aprendizagem com o uso de softwares desenvolvidos para dar suporte a diferentes áreas. Na prática, a rede do município de Lucas do Rio Verde terá disponível uma tecnologia hoje restrita a poucas escolas públicas e privadas de todo o país.

A difusão dessa nova ferramenta por parte dos professores que integram o corpo técnico do Citelucas teve início no começo do mês a partir da Escola Eça de Queirós. Treinados por um grupo de formadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), parceira do Programa na implantação e desenvolvimento de um portal educacional, eles atuam como multiplicadores junto aos docentes da rede municipal.

Outras oito unidades escolares receberão os kits com 36 equipamentos cada um e serão integradas nessa primeira etapa. A aquisição de mais chromebooks – aparelhos portáteis próprios para o ensino, com foco no armazenamento em nuvem, que dependem unicamente da internet – para suprir todos os estabelecimentos da rede dependerá do sucesso desse projeto-piloto.

Idealizadora da Política Municipal de Ciência, Inovação e Tecnologia Educacional e entusiasta do uso da informatização para a inovação didática e metodológica, a secretária municipal de Educação, Cleusa Marchezan De Marco, acredita que o programa representa um novo tempo para o ensino e sua implantação vem ao encontro das novas diretrizes propostas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que pressupõe o uso de novas tecnologias em sala de aula.

“Além do desafio da reestruturação curricular já em curso, este ano teremos uma nova avaliação do Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb), e, também por isso, precisamos derrubar barreiras e colocar todo esse ferramental à disposição de professores e alunos para facilitar o acesso ao conhecimento e à construção e troca de experiências e saberes”, defende.

Segundo a professora e coordenadora do núcleo tecnológico da rede municipal, Márcia Botim, a informatização da sociedade e a disseminação de equipamentos digitais entre as crianças e jovens do mundo todo tem forçado a mudanças drásticas no modelo de educação tradicional. “A inovação se impõe se quisermos manter o foco deles dentro da sala de aula diante do domínio crescente da tecnologia digital”, ressalta.

Também integrante do grupo técnico, o professor Marcelo Verardi explica que os chromebooks foram munidos com softwares voltados para a alfabetização e jogos educativos para auxiliar no ensino de Português e Matemática. “Como o chromebook funciona com um sistema semelhante a um telefone móvel, todos os programas de interesse dos professores encontrados nos celulares poderão ser inseridos nos equipamentos para utilização em sala de aula.”

Vista como bicho de sete cabeças e também responsável pelo baixo desempenho de muitos alunos nas provas do Ideb, o ensino de Matemática até o 6º ano irá dispor de uma plataforma desenvolvida especialmente para reverter esse quadro, conforme descreve a professora Dayse Broch, que participa do núcleo de tecnologia. “Os professores poderão ensinar a disciplina de uma forma lúdica, ou seja, os alunos aprenderão através de jogos e brincadeiras, da ‘gameficação’, que vai despertar o interesse e instigar a curiosidade e o aprendizado de um jeito divertido”, frisa.

Para compensar a falta de uma plataforma específica da disciplina dirigida às turmas dos anos finais do Ensino Fundamental, os professores do núcleo planejam fazer uso de aplicativos.

Depois dos constantes avanços na implantação de tecnologia digital para melhorar a eficácia dos processos administrativos e do suporte aos profissionais, nada mais lógico que estender suas vantagens para a metodologia pedagógica também ficar em sincronia com a Era da Informação.   

» Mais Imagens