Binotti recua de verba indenizatória e diz que vice critica por estar mal informado

» Lucas do Rio Verde

Por RDNews em 25 de Abril de 2018 ás 07:59

O prefeito de Lucas do Rio Verde Luiz Binotti (PSD) pediu a retirada de tramitação do projeto de lei 13/2018 que institui verba indenizatória para prefeito, vice, secretários, procurador-geral e diretores de autarquias. O ofício foi encaminhado para o presidente da Câmara, Jeloir Pelicioli (PDT), nessa segunda (23).

Rompido com Binotti desde janeiro de 2017 e sem participar da administração de Lucas do Rio Verde, o vice Sílvio Fávero (PSL) se posicionou contra a verba indenizatória. Além de classificar a medida como “roubo institucionalizado” , prometeu mobilizar a sociedade luverdense pela reprovação do projeto de lei que classifica como “absurdo, retrógrado e covarde”.

Binotti considera a verba indenizatória justa sob a alegação que os integrantes do primeiro escalão utilizam os próprios carros, telefones celulares e recursos para prestar serviços à administração municipal sem nenhum ressarcimento. No entanto, alega que o projeto de lei não foi bem recebido pelos vereadores e que optou por retirá-lo para evitar polêmicas desnecessárias.

 “Como a verba indenizatória gerou polêmica desnecessária e não foi bem recebida pela Câmara, decidi pedir a retirada de tramitação para evitar desgastes que não contribuem com a boa administração. Vamos concentrar esforços em projetos que serão enviados nos próximos dias, como a Revisão Geral Anual dos servidores do municípios”, declarou Binotti.

Sobre as críticas de Fávero, Binotti prefere não rebater. Sustenta que o vice está mal informado por não participar do cotidiano da gestão. “Não vou polemizar com o Sílvio Fávero, que deve estar mal informado. Ele não contribui em nada com a administração de Lucas do Rio Verde e não sabe o que se passa na prefeitura. Pessoalmente, não tenho nada contra o vice-prefeito, mas não vou considerar a crítica por total falta de fundamento”, concluiu Binotti.

Fávero foi eleito pelo DEM. No mês passado, migrou para o PSL e pretende disputar cadeira na Assembleia apoiando Dilceu Rossato (PSL) para governador e Jair Bolsonaro (PSL-RJ) à presidência da República.

Verba Indenizatória

Para prefeito e vice, a verba mensal seria de R$ 6,5 mil. Já os secretários, procurador-geral e diretores de autarquias como SAAE e Previlucas terão direito a R$ 6 mil por mês caso a matéria seja aprovada. Conforme estimativa, a verba indenizatória pode custar mais de R$ 5,2 milhões nos quatro anos de gestão ou R$ 115 mil mensais.

 

» Mais Imagens