Governador de MT descarta ceder aos grevistas

» Greve

17 de Junho de 2019 ás 06:32

 O governador Mauro Mendes (DEM) descartou pagar a Revisão Geral Anual (RGA) ou conceder qualquer reajuste para acabar com a greve dos professores iniciada no último dia 27 de maio. Continua argumentando que os gastos com pessoal estão em 57,12%, porcentagem 8,12% acima do permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), situação que o impede de ceder.
 
“Nada mudou. Alguma coisa mudou nesses 15 dias? Nós voltamos para os 49% em gasto com pessoal em 45 dias? Não! A lei não nos dá outra alternativa. Falar a verdade e cumprir a lei é ameaça?”, disse Mauro, durante visita do ministro da Infraestrutura Tarcisio Freitas a Rondonópolis.   
 
O presidente da Assembleia Eduardo Botelho (DEM), que considera a postura de Mauro como “radical” está disposto a mediar as negociações em busca do "meio termo". Para isso, aposta na liberação dos R$ 500 milhões do FEX pelo Governo Federal, que viabilizariam o pagamento da RGA. Segundo o levantamento do Executivo, agora são 49,02% das escolas em greve, contra 50,98% em funcionamento parcial ou integralmente.
 
Mesmo com corte do ponto desde o primeiro dia, os professores decidiram manter a greve. Outras decisões desfavoráveis aos grevistas foram proferidas pelo Tribunal de Justiça como obrigação de custear o transporte escolar na reposição das aulas e multar quem proibir professores e estudantes de acessar escolas que não aderiram ao movimento.
 

Fonte: RDNews

» Mais Imagens