Em coletiva, Taques diz que respeita a democracia e o voto do eleitor

» Eleições

Por 24 Horas News em 10 de Outubro de 2018 ás 07:54

Depois da derrota nas urnas, onde ficou na terceira colocação, a terça-feira foi dia de pegar os cacos, arrumar a roupa e seguir em frente ao trabalho. O governador Pedro Taques não escondia uma certa emoção, carregada de desânimo, frustração com a maneira como a derrota veio, mas garante que a vida segue, que vai trabalhar ao máximo até 31 de dezembro para entregar a casa arrumada, sem tantas dívidas e problemas a seu sucessor, o governador eleito Mauro Mendes (DEM). Ele deu a primeira coletiva após a acachapante derrota e confirmou que as portas do governo estarão abertas a partir desta quarta-feira para a equipe de transição.

“Eu sou um soldado para ajudar Mato Grosso a superar as suas dificuldades”, esclareceu o tucano.

O governador voltou a confirmar que a chefia da transição por parte de seu governo fica a carga do secretário-chefe da Casa Civil, Ciro Rodolpho Gonçalves e que seis pastas, todas estratégicas estarão abertas para a equipe que o governador eleito designar.

“Nós temos um tempo para saber em que erramos, fazermos essa reflexão, e reconhecer que o cidadão não erra, ele sabe o que é melhor pro Estado e ele entendeu que nesse momento o grupo conduzido pelo governador eleito é o melhor para o Estado de Mato Grosso”.

Taques confirmou que já teve uma primeira conversa com o governador eleito Mauro Mendes, onde lhe desejou sorte e disse que tudo já está acertado para a transição.

“Disse ao governador eleito Mauro Mendes que aquele que será o coordenador da transição, da nossa parte, é o secretário-chefe da Casa Civil, o Ciro Rodolfo, que aqui está. Disse ao governador eleito, Mauro Mendes, que estou pronto para recebê-lo aqui no Palácio, na hora que ele entender, da melhor maneira possível. Vivemos em uma democracia e é bom que assim seja. Eu, como governador do Estado de Mato Grosso até o dia 31 de dezembro de 2018, disse ao governador eleito que abriremos, como não poderia ser diferente, todas as informações necessárias pra que ele tenha um mandato melhor possível para o povo do Estado de Mato Grosso. A partir de 1 de janeiro do ano que vem eu sou um soldado pra ajudar Mato Grosso a superar suas dificuldades”

O governador encerrou a coletiva enfatizando que é um democrata, que respeita a democracia.

“Eu agradeço e quero dizer a todos aqui: eu sou um democrata, não há nada melhor que a democracia. Existem erros na democracia? Existem falhas na democracia? Existem. Mas isso só pode ser combatido com mais democracia. A eleição é muito boa. Adoro eleição. E eu estou há 25 anos cuidando de problemas dos outros. Quinze anos como procurador da República, dois anos como procurador do Estado, quatro anos como senador da República e até 31 de dezembro, quatro anos como governador do Estado de Mato Grosso. Por 25 anos. E aí eu terei, a partir de 1 de janeiro do ano que vem, condições de cuidar só de mim e da minha família”, encerrou.

 

» Mais Imagens