Selfie na urna dá até 2 anos de cadeia; Polícia Federal vai monitorar redes sociais

» Eleições

Por RepórterMT em 07 de Outubro de 2018 ás 08:06

Neste domingo (7), os eleitores viciados em tirar 'selfies' ou que gostam de emitir suas preferências políticas nas redes sociais devem ficar atentos para não cometerem algum tipo de crime eleitoral. A Polícia Federal irá monitorar os perfis das redes sociais para punir quem desrespeitar as leis.

De acordo com o diretor geral do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Nilson Bezerra, os eleitores podem cometer dois tipos de crimes através de postagens em suas páginas. No dia da votação, quem pedir votos para seu candidato pode passar até dois anos na cadeia ou pagar multa de R$ 5 mil a R$ 15 mil.

"A pessoa que infringir a Lei será convidada, na segunda-feira (8) a ir à Polícia Federal responder um inquérito com pena de multa de R$5 mil ou até ser detido. E claro, se for réu primário pode trocar por cesta básica"

As publicações infringem o sigilo do voto, como prevê o artigo 312 do Código Eleitoral Brasileiro. A publicação na rede pode configurar também boca de urna.

"É importante o eleitor entender que essas manifestações nas redes sociais só podem acontecer até neste sábado (6), no domingo quem fizer postagem com pedido de voto cometerá crime. Passou da meia noite, já é domingo, e se o eleitor tiver postado alguma coisa na rede social será fácil identificar, pois na postagem tem o horário, então será fácil para autuar o eleitor", disse Bezerra.

"A pessoa que infringir a Lei será convidada, na segunda-feira (8), a ir à Polícia Federal responder um inquérito com pena de R$5 mil ou até ser detido. E claro, se for réu primário pode trocar por cesta básica", acrescentou.

Selfie

As penalidades também ocorrem aos que gostam de tirar selfie. Quem registrar seu autorretrato diante da urna e publicar nas redes sociais ou compartilhar no WhatsApp pode sofrer as mesmas penalidades para quem pedir votos no domingo.

"A Polícia Federal vai monitorar as redes sociais, quem postar no Facebook, no WhatsApp, no Instagram, fotos da urna eletrônica. Essas pessoas serão 'convidadas' a comparecerem na polícia e responder criminalmente", explicou o diretor geral do TRE.

 

» Mais Imagens