Pivetta avisa que é candidato se Mauro não disputar

» Eleições

Por Diário de Cuiabá em 05 de Abril de 2018 ás 07:24

O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta pode ser uma alternativa do grupo oposicionista na disputa ao Governo do Estado no pleito de outubro deste ano. O deputado estadual Zeca Viana (PDT) afirma que o empresário está disposto a se filiar no PDT e encabeçar a disputa majoritária, caso o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes não seja candidato. “Pivetta está à disposição, pôs o nome à disposição. Se caso Mauro Mendes não for candidato, teremos alternativa com Pivetta. Mas temos que conversar com todo o grupo de oposição para que não haja um racha na oposição, que é tudo que o governador quer, um racha para ele navegar em mares mais calmos”, revelou o petista.

Diante disso, Viana pede que Mendes defina o quanto antes o seu posicionamento quanto a eleição de 2018. "Mauro precisa decidir. Ele não pode ficar nessa situação, gera muita expectativa. Ele precisa definir rápido, para tomarmos nosso rumo”, completou.

Além do ex-prefeito de Cuiabá, o ex-senador Jayme Campos (DEM) também está sendo cotado para disputar o Governo do Estado contra Taques. Viana afirma, que o PDT também não vê problemas em apoiar uma eventual candidatura do cacique democrata, mas precisa haver um diálogo amplo. “Ainda não houve essa conversa. Precisamos debater. Caso for Jaime, precisamos dialogar. Não tenho entendimento ainda. Só conversei com Jaime a respeito de estarmos juntos. E aí precisamos claro definir quem sairia na cabeça”, disse Viana.

Para o pedetista, a oposição deve se unir para tirar o governador do poder. Diante disso, ele defende que dentre os nomes colocados, apenas um represente o grupo na disputa. “O importante para oposição é estar junto com um nome só, seja Wellington Fagundes, seja Mauro Mendes, seja Jayme Campos”, finalizou.

Pivetta não tem poupado críticas ao atual governador. Para ele, a gestão tucana foi um “insucesso”. “Pedro Taques foi um bom procurador da república, foi um bom senador e um péssimo governador. Então nós temos que tomar providências. Eu nunca fiz críticas a ele, apenas faço um relato do meu sentimento, que parece que corresponde ao sentimento da grande maioria do povo mato-grossense”, ponderou.

Vale lembrar, entretanto, que o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde foi coordenador da campanha de Taques ao Governo do Estado em 2014. Ele afirma que deixou de ser aliado de Taques, porque o gestor tucano não honrou com os compromissos firmados durante a campanha eleitoral. “Nós deixamos de ser aliados porque ele não cumpriu com nada que ele combinou de fazer. Eu fui o coordenador da campanha, eu fui coordenador da transição, e ele que traiu a nossa confiança”, disse.

 

» Mais Imagens