Pivetta descarta candidatura a vice e diz que pendurou as chuteiras na política

» Eleições

Por RDNews em 11 de Janeiro de 2018 ás 09:52

O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, descarta a possibilidade de concorrer a vice-governador nas eleições de outubro. Reafirma que “pendurou as chuteiras” com a derrota que sofreu em 2016 em busca da reeleição e não tem interesse em retomar a carreira política.

Pivetta tem sido lembrado como alternativa para vice-governador na possível chapa encabeçada pelo ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes. Cortejado pela oposição ao governador Pedro Taques (PSDB), ele ensaia trocar o PSB pelo DEM ou outra sigla que viabilize a candidatura e entrar na disputa pelo Palácio Paiaguás.

A possibilidade de lançar Pivetta como vice de Mauro foi elogiada pelo presidente estadual do PP, deputado federal Ezequiel Fonseca. O parlamentar anunciou que Mauro está sendo encorajado pelo ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) a entrar na disputa para contrapor Taques nas urnas.

“Não me interessa cargo de vice nem eleição. Pendurei as chuteiras e não autorizo ninguém a falar no meu nome. Agradeço a deferência, mas já fiz o que tinha para fazer no setor público”, garante Pivetta em entrevista.

Sobre o posicionamento nas eleições, Pivetta afirma que está aguardando a definição das candidaturas para decidir se apoia algum candidato. No entanto, ressalta a simpatia por Mauro, de quem foi vice na disputa pelo Governo do Estado em 2010 pelo chamado Movimento Mato Grosso Muito Mais, quando foram derrotados por Silval Barbosa (sem partido) no primeiro turno.

 “O jeito é esperar o cenário clarear para ver se apoio alguém. Estou fora da política, mas continuo sendo cidadão e sempre terei posicionamento. Não estou articulando nada, mas construí uma história com Mauro a partir de 2010. Como o conheço profundamente, posso dizer que tem meu respeito”, completa.

Oposição

Pivetta justifica a decisão de não participar das eleições alegando que está dedicado à expansão das suas empresas que atuam no ramo de alimentos e cuidando da família. No entanto, nos bastidores circula a informação de que o motivo principal é seu descontentamento com Taques, o qual coordenou a campanha eleitoral que o conduziu ao Governo em 2014.

Além de dirigir a campanha, Pivetta coordenou a transição e chegou a ser cotado para compor o secretariado de Taques. Divergências, principalmente na condução da Saúde pelo Governo do Estado, acabaram afastando os políticos que mantinham aliança desde 2010 quando Taques era correligionário no PDT e foi eleito senador.

Trajetória

Histórico no PDT, Pivetta deixou o partido e migrou para o PSB em abril de 2016. Em junho de 2017, rompeu com a sigla socialista quando o deputado federal Valtenir Pereira assumiu a presidência estadual e desde então permanece sem filiação partidária.

Em 20 anos de vida pública, Pivetta foi prefeito de Lucas do Rio Verde por três mandatos não consecutivos e deputado estadual. Em 2014, tentou a reeleição sendo derrotado por Luiz Binotti (PSD) quando já estava indeferido pela Justiça Eleitoral por enquadramento na Lei da Ficha Limpa, posteriormente revertido.

» Mais Imagens