Reitores da UFMT e IFMT se reúnem com deputados federais para tentar reverter cortes

» Educação

Por Olhar Direto em 14 de Maio de 2019 ás 07:21

Os professores Miryan Serra e Willian de Paula, reitores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), se reuniram com deputados federais para discutir sobre o contingenciamento de 30% das universidades e institutos federais anunciado pelo Governo Federal na semana passada.

Participaram da reunião os deputados federais, Rosa Neide (PT), Valtenir Pereira (MDB), Emanuel Pinheiro Neto (PDT) e o deputado estadual Valdir Barranco (PT), vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa. Um representante do deputado federal Neri Geller também esteve no encontro.

Coordenadora da Frente Parlamentar em Defesa da Escola Pública e em Respeito ao Profissional da Educação, a deputada federal Rosa Neide explicou que houve um diálogo para reverter o bloqueio de 30% das instituições.

“Dialogamos sobre as estratégias para reverter o corte de 30%, feito pelo governo Bolsonaro no orçamento das Universidades Federais e Institutos Federais”, disse a parlamentar.

Nas últimas semanas, reitores de universidades e institutos federais de todo o Brasil foram surpreendidos pelo anúncio de um ‘corte’ de 30% dos recursos para o ano de 2019. Em entrevistas a imprensa, o ministro da Educação, Abraham Weintraub chegou a declaram que o corte seria feito por conta de ‘balbúrdias’ praticadas nas instituições.

Em nota, a reitora da UFMT expôs que a instituição perderá cerca de R$ 34 milhões com o bloqueio. Já o IFMT calculou que terá uma perda de R$ 31 milhões em seu orçamento.

Em participação de sessão no Senado, na semana passada o comandante do MEC explicou que não existe corte e que o anúncio foi de um contingenciamento para ajudar a equilibrar as contas do país, enquanto a reforma da previdência não é aprovada.

O ministro também afirmou que está disposto a receber os reitores em Brasília (DF) para discutir sobre o assunto e que pode os levar inclusive para conversar diretamente com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

 

» Mais Imagens