Secretaria de Educação busca liberação de recursos do FNDE para escola, creches e transporte

» Educação

Por Ascom Prefeitura/Educação - Neri Malheiros em 16 de Abril de 2019 ás 06:39

A secretária municipal de Educação, Cleusa Marchezan De Marco, oficializou no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), na semana passada, a agenda de prioridades para a construção de novas unidades de ensino e para atendimento das demandas referentes ao transporte escolar em Lucas do Rio Verde. Os recursos pleiteados totalizam R$ 11.661.640,80.

Os projetos incluem a construção de uma escola com 12 salas, quadra e refeitório, no bairro Vida Nova, com oferta de 780 novas vagas, em dois turnos, para os anos iniciais do ensino fundamental, estimada em R$ 4.079.615,86, e mais duas creches, ambas por meio do Proinfância I, com previsão de atendimento de 376 crianças cada uma, para os bairros Jaime Seiti Fujii e Parque das Emas. Juntas, as duas unidades perfazem o total de R$ 4.999.788,92.

Já a aquisição de doze ônibus escolares para dar continuidade à renovação da frota irá totalizar o valor de R$ 2.582.236,00. Os novos veículos irão somar-se a outros cinco e mais um furgão para distribuição da merenda escolar já adquiridos pela administração atual. Desses, apenas um ônibus, em 2017, foi comprado por intermédio de convênio. Todos os demais foram adquiridos com recursos próprios.

Segundo a secretária, outro aspecto importante de sua ida a Brasília foi o destravamento de recursos inicialmente previstos para a manutenção dos alunos matriculados nos Centros de Educação Infantil Girassol e Balão Mágico, totalizando R$ 1.053.580,00, que foram liberados graças ao apoio da bancada federal, especialmente dos deputados Neri Geller e Rosa Neide, e que já estão na conta da Secretaria de Educação desde quinta-feira.

“Vamos precisar muito do apoio deles para efetivar essas construções estabelecidas como obras prioritárias de Lucas do Rio Verde e que o FNDE agora vai encaminhar para a Assessoria Parlamentar do MEC. Agradeço aos vereadores Cristiani Dias e Marcos Paulista, que também deram a força política necessária e me acompanharam durante o cumprimento dessa agenda lá na capital federal”, destacou.

No gabinete do senador Wellington Fagundes, a secretária tratou de reforçar o apoio político para a implantação do campus avançado da Universidade Federal de Mato Grosso em Lucas do Rio Verde e de reiterar o compromisso do prefeito com o projeto e o apoio e compromisso da bancada federal com a emenda coletiva de R$ 15 milhões para a construção da estrutura física do empreendimento.

FÓRUM DA UNDIME E SEDUC

Em Cuiabá, nos dias 11 e 12, a secretária Cleusa De Marco participou do 14º Fórum Estadual Ordinário da União dos Dirigentes Municipais de Educação de Mato Grosso (Undime), que teve como tema “A gestão Municipal e os Desafios Frente às Inovações nas Estruturas Organizacionais e nas Políticas da Educação”. Bastante afetada pela recente troca de ministro e outras questões organizacionais e administrativas, a conjuntura política do setor educacional brasileiro esteve no centro dos debates. 

“Quero salientar a importância do pedido do presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, para que os prefeitos façam gestão para que o Congresso não aprove a desvinculação dos recursos da Educação da Carta Constitucional, o que representaria um retrocesso muito grande e uma insegurança para todo o setor educacional do país.”

Ainda na capital estadual, a secretária esteve no gabinete da secretária de Estado de Educação, Marioneide Angélica Kliemaschewsk, onde encaminhou o ofício com as demandas da Comissão de Reordenamento de Matrículas das Escolas Públicas de Lucas do Rio Verde, referentes à ampliação da Escola Ângelo Nadin, à retomada das obras da Escola Tarsila do Amaral e à construção de um novo prédio para a Escola Militar. “O secretário adjunto executivo de Educação, Alan Resende Porto, que cuida da parte de infraestrutura, também estava presente e deixei bem claro que, em 2020, Lucas do Rio Verde não terá vagas suficientes nas escolas da rede estadual e municipal para atender as demandas. A Seduc ficou de cumprir com os convênios assumidos assim que houver a previsão orçamentária”, informou.    

 

» Mais Imagens