Fórum diz que não aceita escalonamento e indica greve unificada

» Crise

Por Midia News em 10 de Janeiro de 2019 ás 06:06

Em uma nota pública divulgada na tarde desta quarta-feira (9), o Fórum Sindical - entidade que representa sindicados do funcionalismo público do Estado - disse não aceitar o cronograma de escalonamento dos salários do funcionalismo apresentado pelo Governo na última semana. Os salários são relativos à folha de dezembro do ano passado, que só será quitada integralmente no dia 30 de janeiro. Habitualmente, os servidores recebem no dia 10 do mês subsequente ao trabalhado.

O pagamento do 13ª dos aniversariantes de novembro e dezembro, além dos servidores comissionados, também foi dividido em quatro parcelas, cujo pagamento será concluído em abril. “A indicação do Fórum é não aceitar o parcelamento do 13º dos aniversariantes de novembro e dezembro, assim como das demais verbas salariais”, consta na nota. O Fórum indicou aos sindicatos que façam uma greve geral, a partir de fevereiro, caso a política de pagamento de salários pendentes não se altere.

 “Embora a reunião como o governador Mauro Mendes tenha sido muito importante para o início da relação Governo – Trabalhadores, ela não indicou qualquer alteração na determinação do Governo mudar a política de resolução dos problemas fiscais com o não pagamento dos salários dos servidores: 13º. de novembro e dezembro; salário de dezembro na data legal (até o dia 10) e, quanto ao RGA referente ao ano de 2018 sequer foi aventada solução pelo governo”, diz trecho da nota.

 “Assim, respeitando a autonomia das entidades sindicais e as condições específicas de cada uma, fica aberta a decisão de paralisação ou não para este momento, porém, a indicação do Fórum é pela construção da Greve Geral Unificada a partir de fevereiro, após avaliação e deliberação conjunta de todos os sindicatos, inclusive da educação que encontra-se em férias coletivas”, acrescenta o documento.

Também na nota, o Fórum orienta que todos os sindicatos façam suas assembleias e deflagrem assembleias permanentes durante o mês de janeiro. Os sindicalistas também afirmaram que irão compor um grupo de estudos para analisar as receitas e despesas do Estado, de modo a encontrar uma opção para o Executivo pagar integralmente o salário dos servidores. Tal proposta deve ser oficializada ao governador ainda neste mês.

“Porém, o Fórum indica a construção de Greve Geral Unificada a partir de fevereiro, caso o Governo mantenha sua intransigência frente à calamitosa situação que empurrará servidores públicos a atrasos salariais de até 60 dias (caso dos que receberiam o 13º no mês de janeiro, fizeram antecipação no banco e, receberão apenas o salário de dezembro no final de janeiro, quando estes serão consumidos completamente pelos bancos)”.

 

» Mais Imagens