Salários atrasados e caixa zerado; Como Mauro vai encontrar governo

» Crise

Por RepórterMT em 31 de Dezembro de 2018 ás 05:32

O governador diplomado Mauro Mendes (DEM), que assume o comando do Estado na próxima terça-feira (1º), criticou a forma com que o governador Pedro Taques (PSDB) tem lidado com as contas públicas. Para o democrata, a agonia vivida até o dia 20 de dezembro - quando os salários foram enfim depositados - mostra a real situação do caixa de Mato Grosso.

"Mato Grosso não honra os seus compromissos e todos aqui sabem disso. Os prefeitos sabem disso, os deputados sabem disso, então não adianta ficar inventando historinha de última hora tentar justificar aquilo que é injustificável”, destacou.

Mauro classificou como ‘historinhas de última hora’ a afirmação do secretário-chefe da Casa Civil, Ciro Rodolpho, de que o Auxílio de Fomento às Exportações (FEX) para pagar o salário de dezembro caberá à nova gestão, já que a reserva é feita do dia 1º ao dia 10 do mês subsequente.

Aos jornalistas, Mauro questionou se alguém acreditava na justificativa de Ciro para a questão. Para ele, é óbvio que a gestão Taques não deixará recursos em caixa para fazer o pagamento dos salários.

 “É melhor reconhecer que o Estado está em uma triste e dura situação financeira, seria mais digno, mais honroso [reconhecer], principalmente os que estão naquela posição (na administração). Mato Grosso não honra os seus compromissos e todos aqui sabem disso. Os prefeitos sabem disso, os deputados sabem disso, então não adianta ficar inventando historinha de última hora tentar justificar aquilo que é injustificável”, destacou.

Mauro ainda falou que torce para que o Estado receba o quanto antes FEX, dinheiro que será usado pelo Executivo para diminuir o déficit nas contas públicas.

 

» Mais Imagens