Bolsonaro exonera o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio

» Corrupção

Por VEJA.com em 06 de Fevereiro de 2019 ás 06:02

 Marcelo Álvaro Antônio (PSL), foi exonerado do cargo de ministro do Turismo, em decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira 6. Não está claro, porém, se a decisão está relacionada às denúncias que o político recebeu nesta semana.

De acordo com apuração do jornal Folha de S. Paulo, Antônio desviou recursos nas últimas eleições em um esquema de candidaturas “laranjas” no estado Minas Gerais. Questionado sobre o caso, o vice-presidente Hamilton Mourão declarou que a história “se for verdadeira, é grave”.

No entanto, existe uma hipótese de que a exoneração seja uma formalidade para que Antônio – o deputado federal mais votado em Minas Gerais em 2018 – tome posse na Câmara.

Até o momento, ele é o único deputado integrante do primeiro escalão do governo que ainda não tomou posse. Para assumir no Congresso, é necessário que seja exonerado temporariamente do cargo no Executivo.

O decreto apenas anuncia a exoneração, sem detalhar uma justificativa. Até o momento, nenhum membro do governo se pronunciou a respeito. Segundo a denúncia da Folha de S. Paulo, Antônio usou quatro candidaturas de mulheres para direcionar verbas públicas de campanha para empresas ligadas a seus assessores.

Por meio de sua assessoria, o político afirmou que “a distribuição do fundo partidário do PSL de Minas Gerais cumpriu rigorosamente o que determina a lei” e que “refuta veementemente a suposição com base em premissas falsas de que houve simulação de campanha com laranjas no partido.”

 “Fazer ilações sobre o valor gasto por qualquer candidato e a quantidade de votos que o mesmo conquistou é, no mínimo, subestimar a democracia e o poder de análise dos eleitores”, declarou.

 

» Mais Imagens