Maurício Guimarães garante que seleções vão usar COTs, mesmo inacabados

» Copa do Mundo

Por Welington Sabino/Gazeta Digital em 20 de Maio de 2014 ás 07:11

Divulgação/TCE

De todas as obras incluídas pelo governo de Mato Grosso na matriz de responsabilidade do Estado para realização da Copa do Mundo em Cuiabá agora em junho, os 2 Centros Oficiais de Treinamento (COTs) em construção, são essenciais, mas o Tribunal de Contas do Estado (TCE) garante que ambos não ficam prontos. Essa é a maior preocupação do Tribunal, pois os COTs são exigências da Federação Internacional de Futebol (Fifa) para que as seleções possam treinar.

Por sua vez, o secretário extraordinário da Copa, Maurício Guimarães discorda do TCE e afirma que o Centro de Treinamento da Universidade Federal de Mao Grosso (UFMT) vai ficar totalmente pronto.

Em relação ao COT da Barra do Pari, em Várzea Grande, ele admite que não ficará pronto em sua totalidade, mas mantém o discurso de que tudo dará certo. O secretário garante que as seleções que vão jogar em Cuiabá nas 4 partidas da Copa do Mundo vão poder utilizar os Centros Oficiais de Treinamento, mesmo inacabados e sem oferecer o “padrão Fifa” que a entidade máxima do futebol exige. “As seleções vão utilizar. O da UFMT está um pouco mais adiantado. O do Pari ainda é ainda um desafio de deixar ele 100% concluído, mas ele estará sendo utilizado e com todas as condições exigências estabelecidas nos contratos com a Fifa”, sustenta.

Questionado se isso significa dizer que os COTs estarão finalizados, Guimarães disse que apenas o da UFMT estará concluído. “Exceto a pista olímpica que será posta depois da Copa do Mundo”, pontua ele repetindo que o COT do Pari ainda é um grande desafio. “Estamos trabalhando para concluí-lo 100%, mas ele estará em condições de uso e para a finalidade que ele foi concebido”, enfatiza.

Ambos os COTs são construídos pela Engeglobal Construções, a mesma empresa que executa as obras de ampliação do aeroporto Marechal Rondon, também em atraso e que não ficará pronta até o Mundial. Na semana passada, os operários cruzaram os braços e suspenderam os trabalhos como protesto contra a redução salarial e cortes nas horas de produção. A paralisação começou no dia 9 e foi encerrada no dia 12 após a empresa negociar e se comprometer a regularizar a situação. Na obra que deveria ser entregue em dezembro de 2013, existem hoje cerca de 240 operários trabalhando. Otimista, a Secopa trabalha com um novo prazo para a obra seja concluída até o final de maio.

Depois de pronto, o COT da UFMT terá capacidade para abrigar 1,5 mil torcedores sendo construído no campo de futebol, ao lado do Ginásio Poliesportivo. Pelo projeto inicial, haverá também uma pista oficial de atletismo de padrão internacional, com piso sintético e 400 metros de comprimento, local projetado para ser referência em Mato Grosso para treino e realização de competições esportivas.

O COT da Barra do Pari por sua vez terá uma área total de 52 mil metros quadrados e para 3 mil torcedores e 250 vagas de estacionamento, 20 delas são de uso exclusivo para pessoas com deficiência e idosos. Contará ainda com salas de imprensa, cabine de transmissão, vestiários, camarotes, lounge, sala de musculação, sala de fisioterapia, alojamentos, lavanderia, cozinha, refeitório e restaurante.

 

» Mais Imagens