Ameaça provoca desespero em pais e alunos de escola em Sorriso

» Cidades

Por Midia News em 05 de Abril de 2019 ás 06:43

Uma suposta ameaça de massacre na Escola Estadual 13 de Maio, em Sorriso, causou um grande tumulto e resultou na suspensão das aulas na manhã de quinta-feira (4). No entanto, o delegado André Ribeiro descartou a veracidade do ataque, que foi divulgado por um print de uma conversa no WhatsApp na noite dessa quarta-feira (3). Nas mensagens, um adolescente sugere levar rojão, facas e facões para a escola.

Segundo o delegado, cinco alunos do período noturno - de 16 e 17 anos - teriam tentado “dar um susto” nos colegas. O delegado disse ainda que os estudantes trocaram o nome de um grupo de trabalho da disciplina de Educação Física no aplicativo para “Gp do massacre 13 de maio”. Depois, começaram a mandar mensagens “planejando” o atentado. O print passou a circular nas redes e chegou até a direção da escola.

Conforme a secretária da escola, Andréia Gouvea, as denúncias começaram a chegar após o fechamento do instituto educacional e seguiram até por volta de 2h. “Até duas e pouco da manhã eu estava recebendo isso no meu WhatsApp. Alguns alunos passando para gente o que eles estavam vendo”, contou.

Com isso, os coordenadores tomaram a decisão de acionar a Polícia Civil e adotaram medidas de prevenção ao ataque. Apesar do alarde, as atividades seguiriam normalmente na manhã seguinte.

“Nós mantivemos as aulas porque tomamos todas as precauções para isso, para que nada ocorresse. Nós tínhamos vigia na escola, nós entramos em contato com a polícia, que estava fazendo ronda, nós trabalhamos com portão fechado. Então ninguém entraria aqui sem passar primeiro pela gente. Não teria problema algum”, explicou a funcionária.

Apesar disso, a notícia de um possível ataque se espelhou e estudantes e pais entraram em desespero. Conforme Andréia, alguns alunos abandonaram as salas de aula e diversos pais começaram a ligar na escola.

“A gente foi tranquilizando os pais, dizendo que estava tudo dentro da normalidade, que a gente já tinha tomado as providências. Estava tudo certo”, afirmou.

De acordo com o delegado, os estudantes envolvidos foram identificados e quatro deles já prestaram depoimento na delegacia. Além disso, os pais também foram acionados pela Polícia. “Todos eles estão chorando agora na delegacia, pai chorando desesperado porque não sabe o que vai fazer com os filhos”.

“Foi uma brincadeira infeliz dos adolescentes, são todos adolescentes de classe média, ninguém é bandido, vagabundo. Eles estão no padrão de adolescente normal”, completou Ribeiro. Para o delegado, o tumulto se deu por causa da repercussão do atentado na escola de Suzano (SP), porém ele acredita ter sido um fato isolado.

Ribeiro informou que os alunos também serão responsabilizados pelos seus atos. Porém, de acordo com a secretária, a escola não pode expulsar os envolvidos, com base na legislação brasileira. “Sem dúvida tem consequências, eles vão responder pelos atos e pelo transtorno que causaram na escola”, afirmou o delegado.

 

» Mais Imagens