Pós-votação, Bolsonaro volta a pôr em xeque urnas eletrônicas

» Brasil

Por Notícias ao Minuto em 08 de Outubro de 2018 ás 07:12

O deputado fluminense Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) se enfrentarão no segundo turno da eleição para presidente, no próximo dia 28. Após a apuração dos votos, o candidato do PSL falou por meio do seu perfil no Facebook. Ele criticou os problemas enfrentados em votações por todo o país, neste domingo (7), e pôs em xeque a lisura das urnas.

 “Vamos exigir do TSE [Tribunal Superior Eleitoral] uma solução para tudo que aconteceu, porque aconteceu muita coisa. Se nós tivéssemos segurança, já teríamos o nome do presidente da República decidido no dia de hoje”, apontou.

O militar ainda falou sobre a votação que conseguiu na região Nordeste, onde Fernando Haddad ganhou em todos os estados. “A votação no Nordeste foi muito boa e tenho certeza que melhorará no segundo turno”. Segundo ele, o povo “humilde, conservador e trabalhador” da região sofre com o “terrorismo” praticado pelo PT.

Bolsonaro ainda comentou sobre as dificuldades que enfrentou na campanha. “Andamos em praticamente todos os estados, se não me engano só no Amapá. Nós não tínhamos personalidades, grandes aparatos ao nosso lado, mas tínhamos sim bons políticos e o apoio da população, porque afinal a verdade estava acima de tudo. Para quem não tem tempo de televisão, com um partido ainda muito pequeno, sem fundo partidário, e hospitalizado por 30 dias, não deixa de ser grande vitória”, avaliou.

Ao analisar o seu concorrente, o candidato do PSL preferiu deixar subentendido o nome do ex-presidente Lula. “Nós sabemos quem o cerca, quem o aconselha, e não queremos esse tipo de gente para ocupar o Palácio do Planalto”.

Por fim, convidou seus eleitores a continuarem mobilizados até o segundo turno. “Nós somos um só povo, temos uma só bandeira, um só coração. A nossa união fará com que tenhamos um governo decente”.