Justiça federal cassa liminar e autoriza o uso de glifosato em lavouras

» Agricultura

Por Gazeta Digital em 05 de Setembro de 2018 ás 07:46

Plantio da safra 2018/2019 de soja será liberado no próximo dia 16 em Mato Grosso com uso de glifosato. A utilização do herbicida nas lavouras está autorizada por decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª região (TRF 1), proferida na sexta-feira (31) e divulgada nesta segunda-feira (3). A decisão do desembargador e presidente em exercício do TRF 1, Kássio Marques, atende solicitação da Advocacia-Geral da União (AGU) que pediu no último dia 24 a suspensão de liminar proibitiva ao uso do produto conhecido como “roundup” nas lavouras de soja e milho no país.

Suspensão do glifosato causaria “grave lesão a ordem pública”, no entendimento do presidente do TRF-1. Segundo ele, diversos produtos com base no glifosato foram aprovados “por todos os órgãos públicos competentes para tanto, com base em estudos que comprovaram não oferecerem eles riscos para a saúde humana e para o meio ambiente, estando em uso há vários anos”.

Sem o produto, a próxima safra de soja e milho seria comprometida, afirma o presidente da Associação de Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Antônio Galvan. Proibir o uso do produto nas lavouras teria consequências desastrosas para a atividade, chegou a manifestar o ministro da Agricultura (Mapa), Blairo Maggi.

“Não tem como viabilizar a safra de soja sem glifosato. Seria a mesma coisa que dizer a indústria automobilística para produzir carros sem pneus”, compara o produtor rural Alex Utida, que irá plantar 6,3 mil hectares de soja em Campo Novo do Parecis.

A intenção dele é iniciar a semeadura logo após o vazio sanitário. “Em nossa região conseguimos começar a plantar mais cedo”. Utida acrescenta que Mato Grosso desenvolve uma agricultura industrializada e a que proibição do glifosato coloca em risco o negócio. Entidades contrárias ao uso do glifosato afirmam que estudos indicam ser o produto cancerígeno. (Com Agencia Brasil)

 

» Mais Imagens